Realidade Virtual e catálogos de produtos: hora de se destacar da concorrência!

Posted on

Quando o assunto é Realidade Virtual o que vem à mente? Para muitos, o termo ainda parece algo bem distante. E se falássemos a você que a tecnologia pode ser utilizada inclusive para a elaboração de catálogos de produtos, o que você diria?

Entendemos que isso pode parecer algo fora do alcance da sua empresa ou da sua área, mas se você nos acompanhar nas próximas linhas entenderá que a Virtual Reality (VR) é uma realidade muito mais real do que você imagina.

Entendendo a Realidade Virtual

Deixando explicações técnicas de lado, podemos dizer que a Realidade Virtual nada mais é do que a geração artificial de um ambiente por meio de um programa 3D de computador. Esse ambiente é simulado ao usuário de forma que ele tenha uma experiência real do produto ou serviço.

A Samsung, por exemplo, entrou no mercado de VR com os Óculos de Realidade Virtual (Samsung Gear VR). O setor de entretenimento lançou diversos simuladores em que podemos entrar em uma montanha russa sem sair de casa. A arquitetura e a indústria automobilística também passaram a fazer uso da tecnologia e encontrar benefícios com a visão 360º possibilitada pela Realidade Virtual.

Ok, tudo isso pode ser do seu conhecimento, mas como podemos trazer a VR para o ambiente de marketing e aplicar a tecnologia aos catálogos de produtos?

Hora de VR e catálogos de produtos

Antes de mais nada, você vai concordar que no marketing é tudo sobre experiência. Aproximar empresas de seus clientes ou prospects é algo cada vez mais desafiador em um mundo em que somos bombardeados por novas marcas e produtos. A pergunta na pauta de todo profissional da área (e que você está careca de saber) é: como proporcionar experiência e se destacar?

Para responder à questão, vamos imaginar uma feira de negócios, com centenas de estandes de empresas concorrentes que fazem de tudo para atrair as mesmas pessoas que você. Os visitantes, por sua vez, recebem uma enxurrada de informações e saem do evento com sacolas recheadas de panfletos, folders e catálogos.

Já que marketing tem a ver com experiência, a sua função como profissional da área é fazer com que seu público vivencie sua marca desde o ambiente do seu estande até, claro, os catálogos de produtos que são entregues a eles.

Suponha que você tenha em mãos um catálogo de um fabricante de móveis com fotos atraentes e bons textos explicativos. Agora, imagine que as fotos saltem aos seus olhos e você consiga visualizar cada móvel com uma visão 360º, ou seja, como se em um passe de mágica o móvel fosse parar na sua frente. Com toda certeza, isso não passará despercebido.

Os espectadores (no caso aqueles que estão com os catálogos de produtos em mãos) querem uma experiência inteira com o produto ou serviço que sua empresa está oferecendo, certo? Pois bem, com a tecnologia de Realidade Virtual, por meio de um aplicativo instalado em smartphones, a simples visualização de um catálogo proporcionará ao público uma imersão na marca. Por isso, anote uma regra de ouro:

Catálogos de produtos devem sensibilizar

Não há dúvidas de que quando o cérebro percebe algo como real é muito mais fácil aumentar o interesse e o engajamento da audiência. Utilizando a Realidade Virtual nos catálogos de produtos a empresa faz uso da máxima “Mostre, não conte” (o famoso Show, don’t tell). Ao invés de textos explicando detalhes do que está sendo oferecido, as pessoas poderão ver, com seus próprios olhos, cada característica do produto.

O sentimento de poder fazer com que o produto sendo avaliado saia do papel e esteja presente em um mundo não físico, mas ao mesmo tempo tão perto do cliente, torna toda a experiência muito mais real.

Além disso, o fato de poder visualizar as características do produto (ao invés de somente ler as descrições), faz com que o consumidor fique muito mais sensibilizado e sinta-se muito mais apto a fazer suas próprias avaliações de detalhes que, em catálogos tradicionais, estão apenas descritos.

Toda essa imersão trazida pela Realidade Virtual aos catálogos de produtos faz com que audiência se sinta muito mais atraída e sensibilizada ao que sua empresa tem para oferecer. Por isso, lembre-se que dar ao seu público-alvo uma experiência virtual significa possibilitar que eles vejam, e de certa forma sintam, o que sua empresa oferece.

Em outras palavras: você está dando aquele empurrãozinho para que sua audiência tenham uma imersão real e avance na jornada de compras.

Quer entender mais do assunto? Entre em contato conosco, pois será um prazer conversar com você. Se este artigo foi útil, fique à vontade para compartilhá-lo com seus colegas. Até a próxima!

Category : Realidade Aumentada , ,

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *