Análise: Indústria de Máquinas e Equipamentos

Sobre o Benchmark

Pensando em entender melhor como as principais empresas de seus setores divulgam seus produtos e serviços, realizamos um estudo de mercado. A ideia, além de verificar o que está sendo feito hoje, é partir dessa avaliação para darmos algumas sugestões de ações que podem ser feitas por empresas da indústria de Máquinas e Equipamentos.

Deixamos claro que sabemos que cada negócio possui sua própria estratégia. Nosso olhar aqui é de alguém de fora, que se propôs a fazer a seguinte pergunta: como os principais players do setor de Máquinas e Equipamentos se comunicam hoje e como empresas como a suapodem se diferenciar em 2021?

Esperamos que neste material você possa ter algumas ideias inspiradoras.

Boa leitura.

Metodologia de Pesquisa

Para o estudo, as equipes de marketing e de inteligência de mercado da Signia se basearam nos seguintes critérios:

Pontos de Referência

  • Líderes de Mercado
  • Inovadores

Critérios de Pesquisa

  • Site
    • Layout
    • User Experience
    • Interação
    • E-commerce (B2C)
  • Mídia Social
    • LinkedIn
    • Instagram
    • Facebook
    • Youtube

Perguntas

  • Quem são essas empresas?
  • O que elas fizeram em 2020?
  • Como é a estratégia de comunicação online?
  • Como melhorar e inovar em 2121?
  • Quais tendências para 2021?
    • Panorama da comunicação

Site

Algo que 2020 nos mostrou é que o digital ganhou força e abriu uma série de oportunidades inclusive para o B2B. Como citado em uma pesquisa da CMO: “o valor agregado dos clientes atribuído à experiência digital permanecerá alto e nunca retornará aos níveis pré-pandêmicos.” 

Das empresas que avaliamos, temos três destaques com relação ao site: Valtra, Vredestein e Jacto. Em ambos os casos os sites proporcionam uma experiência diferenciada ao usuário. 

Valtra

Como as pessoas não conseguiam visitar as lojas da Valtra, a empresa resolveu a questão trazendo a experiência do real para o site com a criação de um showroom virtual. Assim, ao acessar a página online, o usuário consegue explorar toda a linha de produto, ver os conteúdos produzidos, modos de financiamento, entre outros. 

Resumidamente, a jogada da Valtra foi de unir o que eles tinham em suas concessionárias e no próprio site em um único espaço, no caso, no showroom virtual. Desse modo, de sua própria casa o cliente pode “caminhar” e ver os produtos mais de perto.

Vredestein

A experiência oferecida pela Vredestein é diferente daquela apresentada pela Valtra, mas também convida o cliente para interagir. Nesse caso, a estratégia da empresa é atrair o usuário através de uma história.

Jacto

Questões como usabilidade e uma boa diagramação do site, com fotos e vídeos de qualidade, também são essenciais para melhorar a experiência do cliente.

Seguindo o raciocínio, destacamos a Jacto, com um site apresentando imagens hiper-realistas e boa usabilidade.

Insights da Signia – Site

Observamos que as empresas pesquisadas estão praticamente fazendo a mesma coisa: apostando mais no lado institucional. Sem dúvidas, essa é a função das páginas virtuais, mas não podemos parar aí. 

Com compradores tendo menos possibilidades de viajar para visitar empresas, o site passou a ser uma importante vitrine também para o B2B. Isso significa que empresas que investirem mais em experiência chamarão a atenção de pessoas (lembrando que mesmo um negócio sendo B2B, a interação é essencialmente de um humano para outro).

Em nossa análise e levando as tendências de mercado em consideração, páginas frias, com um layout confuso e sem mostrar preocupação com usabilidade não terão mais espaço. 

Principais pontos para 2021:

  • Showroom virtual
  • Imagens e vídeos mais atraentes
  • Foco em experiência, mesmo para B2B

Social Media

  • Instagram / Facebook

A maioria dos players apresenta menos produtos e dá um destaque mais para o social. Isso confirma a tendência de humanização de marcas nessas mídias. Em outras palavras, fala-se menos do produto e mais sobre o que ele pode trazer de benefício ao cliente.

  • Youtube

De um modo geral, os players analisados não têm uma presença muito forte no Youtube, talvez por uma questão estratégica. Pela nossa percepção, existe uma boa oportunidade para empresas do setor de Máquinas e Equipamentos se destacarem no Youtube, trazendo dicas, apresentando equipamentos etc.

  • LinkedIn

Assim como no Youtube, no LinkedIn os players analisados comportam-se praticamente da mesma maneira. Isso indica que existe uma oportunidade para empresas do setor de Máquinas e Equipamentos criarem conversas mais significativas e, assim, se destacarem.

Insights da Signia – Social Media

As redes sociais se mostram cada vez mais como um canal de relacionamento. A análise dos players nos mostra que as marcas estão buscando tornar-se mais humanizadas, o que acreditamos ser o caminho.

Todavia, vale destacar que não existe nada errado em divulgar produtos ou mostrar o que uma empresa faz e como funciona uma máquina, por exemplo. Acreditamos que tudo depende da maneira que essa divulgação é feita. Como diz o ditado: “nem 8 e nem 80”.

Assim como no site, a experiência também conta muito nas mídias sociais. Por isso, aposte em imagens e em vídeos de qualidade para gerar conversas. Mais do que nunca, tenha sempre em mente quem é seu público-alvo e o que ele quer ver/saber.

Principais pontos para 2021:

  • Redes sociais utilizadas não apenas para humanização da marca, como também para ser uma fonte de informação útil.
  • Quem toma as decisões é sempre uma pessoa. Portanto, mesmo sendo B2B, foque sempre na pessoa que visualiza o post.
  • Traga mais detalhes para imagens e vídeos. Para isso, aposte nas imagens 3D.
  • Diversifique os temas dos posts.
Voltar