Case de Projeto | Docol

A Docol é a maior exportadora de metais sanitários da América Latina, pioneira e líder no Brasil na fabricação de produtos que garantem o uso consciente da água. A empresa possui dezenas de linhas de produtos, com várias opções de acabamento e de sistemas para economia de água, que atendem às mais diversas necessidades.

Nascida em 1956, em Santa Catarina, a Docol hoje está presente em todos os estados do Brasil e em mais de 40 países. Desde 2013 a empresa faz parte também da história da Signia Digital como um de seus primeiros clientes. De lá para cá, a Signia já produziu mais de 230 imagens e vídeos para eles.

Contamos a história neste case.

Como tudo começou e cresceu

Jorge Pietruza, cofundador da Signia Digital, lembra que a primeira interação entre Signia e Docol foi para a produção de um vídeo que divulgaria o lançamento de uma torneira. A necessidade da Docol era a de criar uma narrativa para apresentar o produto e, assim, conseguir também ter uma maior proximidade com os arquitetos.

O diferencial do vídeo produzido pela Signia foi o de inserir a torneira de forma contextualizada. Na ocasião, os vídeos foram feitos com uma mescla de captação e 3D.

Na sequência, Jorge relata que a Signia passou a produzir imagens para catálogos e site, além de outros materiais que foram apresentados na feira Revestir, em 2018. No evento, a Docol apresentou diversos lançamentos, os quais contaram com o envolvimento de diversos arquitetos de renome e com a curadoria de Baba Vacaro.

Naquele ano, a Docol queria enfatizar a parceria e, com o objetivo de fazer com que o público da Revestir tivesse uma percepção muito mais acurada e detalhista dos novos produtos, mais uma vez a empresa investiu nas imagens e vídeos produzidos pela Signia Digital. “Os vídeos nos estandes chamaram  muita atenção do público da feira e a repercussão foi bem positiva”, lembra Jorge.

A produção de vídeos e imagens para o evento contribui para que a Docol chamasse a atenção e se destacasse dos outros expositores. Mas a contribuição da Signia não parou por aí. Nessa relação entre as duas empresas consta um outro trabalho que ajudou a Docol a apresentar seus produtos e ganhar dois prêmios.

Good Design Award e IF Design Award

O Good Design Award é o mais prestigiado e antigo programa de excelência em design do mundo. Já o IF Design Award é considerado o mais conceituado prêmio de design e reúne um criterioso júri que avalia produtos enviados de diversos países. No IF, a Docol foi a única empresa brasileira premiada do segmento.

Para inscrever-se nos prêmios, eles precisaram enviar imagens e vídeos dos produtos. Jorge relata que a Signia desenvolveu materiais exclusivos para esse fim. “Como eles não mandaram o protótipo, precisavam de bons e atraentes materiais para apresentar os produtos da linha e concorrer às premiações”, conta o diretor.

Em ambos os casos, a linha Mix&Match foi premiada. Para o Good Design Award a empresa foi campeã na categoria Bath/Accessories, e para o IF Design Award o reconhecimento veio na categoria Product.

Sobre as imagens ambientadas e hiper-realistas

De apresentações em feiras a premiações, os vídeos e imagens que a Signia desenvolve para a Docol envolvem muito estudo.

“Digitalmente nós montamos todo o ambiente que respeita a tendência da linha do produto a ser divulgado, de acordo com o estilo de linguagem”, explica Jorge. Para a realização do trabalho, a Docol explica qual é o estilo desejado e a Signia cria um painel de imagens de referência. Após, chega-se a um acordo e definem-se os parâmetros a serem seguidos.  

Importante destacar que todas as imagens são hiper-realistas, algo essencial para os produtos da Docol. De acordo com Jorge, a empresa é criteriosa com relação ao acabamento, pois cada linha apresenta detalhes que devem ser entendidos e – principalmente – percebidos pelo consumidor ao olhar uma imagem ou visualizar um vídeo.

A fim de conseguir realmente reproduzir em 3D uma cópia do real, para os trabalhos executados até então a Signia recebeu amostras de metais e acabamentos. Assim, os profissionais contaram com mais ferramentas para analisar detalhes e realizar a reprodução de texturas, brilho e coloração.

“Mas é sempre bom lembrar que mesmo tendo um material físico em mãos, o trabalho exige muita qualidade para que a reprodução seja exata em todos os detalhes, como é o caso da tonalidade, da opacidade e do brilho do metal, por exemplo”, reforça Jorge, que complementa: “são pequenas sutilezas que fazem toda a diferença e precisam estar visíveis ao consumidor”.

Vídeos para website

Como a Docol faz parte do início da Signia, muitas imagens e vídeos já foram produzidos para a empresa. Jorge destaca os vídeos longos, curtos e teasers para demonstrar produtos no e-commerce:

“Quando a empresa está associada a uma venda por e-commerce, imagens hiper-realistas fazem toda a diferença para que a pessoa que está do outro lado veja os detalhes e a qualidade do material. É como se estivesse olhando no ponto de venda com o produto na mão”.

Ainda conforme Jorge destaca, como os vídeos para a Docol são todos ambientados, o consumidor consegue ter a experiência sensorial que esse tipo de mídia oferece. Isso porque, como ele lembra, o vídeo tem o principal papel de tornar mais tátil a imagem.

Principal desafio dos projetos

Para a equipe da Signia, o principal desafio nos projetos realizados foi conseguir manter a fidelidade do cromo, do brilho e reflexo. A atenção vai para o último, pois materiais com reflexo exigem um cuidado redobrado para que a forma não seja distorcida e não tenha excesso de contraste.

“O material cromado é praticamente um espelho. Às vezes se tem a presença de cor escura em lugares que podem distorcer a percepção do formato do objeto. Para evitar que haja distorção da característica do produto final, ao mesmo tempo garantindo que detalhes fiquem em evidência, temos que controlar o reflexo e o brilho”, detalha Jorge.

Ele segue esclarecendo que o trabalho todo é feito sempre buscando cumprir com exatidão inclusive o sentido da textura.

Benefícios das imagens hiper-realistas

Para compreender o diferencial da imagem hiper-realista, Jorge faz uma comparação com as fotos tiradas em estúdio. Segundo ele, dependendo de como a luz bate no objeto, no momento em que a fotografia é tirada é necessário fazer muito fotoshop. A cada vez que o fotoshop é intensificado, mais longe do real a aparência do produto fica.

Exatamente por isso, especialmente em casos nos quais os produtos a serem fotografados sejam cromados, o indicado para reproduzir imagens com qualidade é criá-las dentro do processo de renderização do 3D. Isso porque o artista 3D tem todo o controle do cenário, inclusive da iluminação desejada (por exemplo, iluminação de fim de tarde, de começo de dia etc.), algo impossível em um cenário real.

“Em um ambiente tridimensional se tem muito mais controle do que se teria em um estúdio fotográfico. No 3D é possível trabalhar com um número ilimitado de fontes de luz, de opacidade, superfícies reflexivas, contraste e outros. Sem contar que os parâmetros de controle do reflexo são muito maiores no ambiente digital”, esclarece e finaliza Jorge.

Além de vídeos e imagens para fins de marketing, a Signia Digital produziu materiais para uso interno da área de inovação da Docol, para ajudá-los a tangibilizar ideias.

Para saber mais detalhes sobre esse e outros projetos já realizados pela Signia, entre em contato conosco.

Cases de projetos

Fornecer aos nossos clientes recursos visuais da mais alta qualidade dentro do prazo e do orçamento é nossa maior prioridade.

Saiba mais sobre como o hiper-realismo vem impactando nossos clientes, como nossos projetos são criados e conheça nossos trabalhos mais recentes.

Ver Cases de projetos
Voltar