O consumo de vídeos está crescendo. Não fique de fora!

Estamos consumindo mais vídeos. O que sua empresa tem a ver com isso?

Cinco a cada 6 pessoas consomem vídeos. Brincadeiras a parte, o fato é que brasileiros consomem cada vez mais vídeos. Pelo menos é o que diz a 5ª edição da Pesquisa Video Viewers, realizada em parceria com o Instituto Provokers e com a Box 1824.

O objetivo da pesquisa é entender como anda nosso comportamento ao ligarmos a TV ou darmos um play. Um dos pontos apontados pelo estudo é a força do Youtube.

Para entendermos a evolução do consumo de vídeos no Brasil (e o que sua empresa tem a ver com essa história toda), invista uns minutos na leitura deste post.

Sobre o consumo de vídeos no Brasil

A pesquisa começou a ser realizada em 2014. De lá para cá, de acordo com o estudo o consumo de vídeos só aumenta. O destaque, como você deve imaginar, vai para os vídeos online, que crescem mais aceleradamente na preferência dos brasileiros em comparação com a TV.

A Video Viewers e o Instituto Provokers descobriram que enquanto o consumo dos vídeos na web aumentou em 135% em quatro anos, na TV o aumento foi de 13%.

E quem é o grande protagonista da mudança? O Youtube, claro. Ele figura como o dono do coração quando o assunto é preferência de canal para assistir a vídeos.

A plataforma, aliás, tem uma força especial no nosso país. Entre 2015 e 2017 foram 35 milhões de novos usuários brasileiros. Seria, conforme falado aqui, o mesmo que imaginar a população inteira do Canadá entrando na plataforma nesse período.

Para o consumo de vídeos online, a maioria dos brasileiros utiliza o smartphone. No entanto, as smarts TVs têm ganhado destaque também, sendo que o uso delas triplicou de 2017 até o momento.

Mas, qual é a motivação para consumo de vídeos?

A pesquisa também procurou entender o que faz os brasileiros colarem os olhos nas telas. De acordo com o estudo, as motivações para o consumo de vídeo são:

  • Conexão: a pessoa busca sentir algo em conjunto (22,3%)
  • Conhecimento: a pessoa busca se informar (29,8%)
  • Entretenimento: a pessoa busca se divertir (38,7%)
  • Identidade: a pessoa busca se encontrar (9,2%)

Em termos de entretenimento, foi constatado que a TV aberta tem mais força. Dentre os canais online, a pesquisa conclui que as motivações que levam uma pessoa ao Youtube são principalmente entretenimento, conhecimento e identidade.

As motivações por trás do Facebook são conhecimento e identidade, enquanto que para o Instagram, identidade.

O que sua empresa pode fazer com essas informações?

Como diz o ditado, “Informação é poder”. A partir do que foi mencionado até aqui já podemos tirar uma conclusão: se sua empresa pensa na sustentabilidade financeira do negócio, ela deve começar hoje a dar uma atenção especial aos vídeos.

A maneira como consumimos informação tem tudo a ver com a maneira pela qual seus clientes chegarão até você e optarão pelo seu produto/serviços ao invés do da concorrência.

E como vimos pelo que mostra a pesquisa, o vídeo é o gatilho para engajamento entre sua empresa e seu público.

Existem vários tipos de vídeos que podem ser explorados pelo seu negócio. Por exemplo: vídeos mostrando como seu produto funciona, vídeos 360 (possíveis graças à Realidade Virtual), vídeo em que o cliente visualiza o produto de maneira imersiva, vídeos de marcas, de depoimentos de clientes, entre tantos outros.

Lembra das quatro motivações ao consumo de vídeos citadas? Pois é, elas têm tudo a ver com o Engagement Marketing, o qual diz que pessoas são muito mais persuadidas a tomar uma decisão quando os sentidos estão envolvidos: olfato, visão, paladar, tato e/ou audição.

Se o poder dos vídeos têm crescido no Brasil, então podemos entender que eles são uma das melhores ferramentas que temos hoje para engajamento.

Muitos acreditam que trabalhar com vídeos é pegar o smartphone e gravar algumas cenas. Isso pode até funcionar para casos pessoais e blogueiros, mas quando entramos no terreno corporativo, temos que lembrar da alta competitividade.

Por isso, se você entendeu da importância do consumo dos vídeos, não esqueça de mostrar uma imagem profissional da sua marca.

Hoje em dia existem técnicas que fazem a diferença na qualidade das imagens, como é o caso da Imagem Gerada por Computador (Computer Generated Imagery – CGI).

Inclusive, a técnica permite você criar cenários que seriam extremamente caros (ou até impossíveis de se adaptar) se fossem utilizados apenas cinegrafistas.

Com relação ao tempo dos vídeos, anota essa dica:

  • Instagram: 30 segundos
  • Twitter: 45 segundos
  • Facebook: 1 minuto
  • YouTube: 2 minutos

Concluindo

Os vídeos não apenas vieram para ficar, como vieram para fazer muito barulho. Neste artigo apresentamos alguns dados da Pesquisa Video Viewers para mostrar a você o quanto o assunto é importante no meio do marketing (a pesquisa completa pode ser acessada aqui).

Infelizmente, muitas empresas não se atentaram para o uso dos vídeos. Se a sua faz parte desse grupo, esperamos que este artigo tenha dado o ponta pé inicial para uma mudança de atitude.

Caso queira conversar mais a respeito, entre em contato conosco. E se você gostou do artigo, compartilhe-o com seus colegas.