Marketing experiencial: o que é e o que ele pode fazer pela sua empresa?

Com tanta concorrência e com consumidores cada vez mais atentos a diversos detalhes das marcas, empresas precisam buscar sempre por novas maneiras de serem relevantes e significativas. Já se sabe que, na maioria dos casos, os meios tradicionais do marketing não conseguem suprir essa necessidade.

É exatamente por isso que a área está constantemente se reinventado. E é pelo mesmo motivo que temos o marketing experiencial.

O que é marketing experiencial?

Também conhecido por marketing de engajamento, a função do marketing experiencial é criar experiências entre marcas e consumidores. Para tanto, as campanhas trabalham com ativação de marca, podendo abranger uma variedade de execuções / técnicas, desde experiências imersivas como em realidade aumentada ou realidade virtual, roadshows, festivais, conteúdo social, campanhas digitais e muito mais.

Na essência, o marketing experiencial busca dar vida às marcas, fazendo com que elas interajam diretamente com o público-alvo. Para que a ação atinja os resultados esperados, o primeiro requisito é que ela proporcione emoções positivas.

Outro requisito é que os clientes sejam conectados com a empresa de maneira autêntica por meio de experiências que construam lealdade e reconhecimento. A fim de que essas experiências fiquem gravadas na mente do consumidor, o marketing experiencial trabalha com os cinco sentidos: olfato, paladar, tato, visão e audição.

No entanto, como seu objetivo é alcançar um maior engajamento com o consumidor, além dos sentidos ele busca ativar a emoção.

Quais as vantagens do Marketing Experiencial?

O benefício mais visível é que ele faz com que sua marca se destaque no meio da multidão. Um exemplo para você entender o que queremos dizer vem da empresa Randon. Na feira Fenatran (para o setor de transportes), ela criou em seu estande um espaço de realidade virtual, no qual o visitante teve a oportunidade de conhecer os 10 lançamentos de caçambas por meio da tecnologia.

A estratégia de realidade virtual coloca a pessoa no centro da ação. Esta é uma outra vantagem do marketing experiencial: ao invés de ser centrada em um produto, é centrada na experiência que a pessoa irá viver.

Outros benefícios do mkt experiencial incluem:

  • Como hoje em dia uma boa parte de empresas divulga seu trabalho pelo marketing digital, sabemos que não podemos fugir disso. No entanto, se ficarmos somente contando com posts em redes sociais, sem procurar engajar o público, chegará um momento que as pessoas deixarão de prestar atenção em nossas marcas. Ações de marketing experiencial são uma resposta a isso, pois elas buscam atrair a atenção (como no caso da Randon).
  • Não podemos esquecer que na era do online o engajamento digital é algo que marcas buscam incessantemente. Apesar de ser cada vez mais difícil engajar o público, ações que visam à experiência são ótimas para engajar pessoas e marcas.
  • Se uma empresa cria uma experiência em um evento, supermercado ou qualquer outro local, é bem provável que a marca ganhe exposição gratuita. Isso porque o marketing experiencial tem um benefício e tanto: ele é totalmente compartilhável.

Como criar uma campanha de marketing experiencial?

Para começar, é primordial pensar fora da caixa. Você quer apresentar um produto em um evento e resolve fazê-lo em vídeo? Ótimo. Mas nesse caso, quais são as experiências que você passará ao seu público? Serão imagens em 3D, por exemplo?

Caso queira apresentar um produto novo no seu site, ao invés de somente utilizar fotos, por que não possibilita uma experiência de realidade aumentada? Foi o que fez a Apple dos Estados Unidos. Se você acessar o site da empresa por um smartphone, terá a chance de ver o novo Iphone em realidade aumentada (clique aqui e role a tela até “see Iphone 11 in AR)”.

É possível também aplicar o marketing experiencial em lojas físicas. A empresa O Boticário abriu uma loja em um shopping de Curitiba (PR) com o conceito bem diferente das tradicionais lojas da marca que vemos por aí. Batizada de Boticário Lab, além de ser totalmente focada para promover a experiência, a loja é a única no Brasil onde os consumidores podem encontrar cinco novas versões de sua perfumaria premium 214.

Para atrair a atenção, além do produto diferenciado, quem entra no local realmente se sente dentro de um laboratório e pode tirar foto em um espelho interativo, vivenciar experiência de realidade aumentada, entre outros.

Do mesmo modo, os eventos são igualmente espaços muito propícios para o marketing experiencial. A tirolesa no Rock in Rio é um exemplo.

Consegue entender agora por que pensar fora da caixa em uma campanha de marketing experiencial? Para conseguir isso, leve em consideração os pilares que veremos a seguir

Pilares do marketing experiencial

Já que é para pensar fora da caixa, quando planejar sua ação considere pelo menos um desses pilares:

  • Percepção: quais sentidos a experiência quer evidenciar?
  • Sentimentos: o que a ação deve causar no consumidor? Quanto mais fator “Wow” ela despertar, mais sucesso a experiência terá.
  • Ação: que tipo de experiência o consumidor terá? (exige algum comportamento do consumidor, como tirar uma foto, experimentar um produto, testar um lançamento, enviar comentários etc.);
  • Relacionamento: de qual forma será o engajamento do cliente com a marca?

Então, pronto para o marketing experiencial?

Na sua essência, o marketing experiencial envolve a imersão dos consumidores. Como vimos, trata-se de posicioná-los em primeiro lugar (ou seja, é focado no cliente).

Para criar uma ação na sua empresa, coloque-se na mente do seu consumidor e imagine-se no lugar dele. O que chamaria sua atenção? O que faria com que ele quisesse contar a experiência para todo mundo?

Não esqueça também de dar uma atenção especial à história que sua marca quer contar ao proporcionar determinada experiência. Consumidores que se identificam com uma história fazem conexões mais fortes com as marcas e têm respostas emocionais positivas.

Por exemplo, no Boticário Lab as pessoas podem ver os instrumentos antigos utilizados no laboratório da empresa no passado. A loja faz um convite para conhecer o velho e o novo.

E para encerrar, não esqueça que, seja qual for sua ação, ela precisa ter um objetivo bem definido antes de qualquer outra coisa.

Caso queira conhecer como a realidade aumentada e a realidade virtual podem ajudar sua empresa no marketing experiencial, visite nosso site e entre em contato conosco.


Voltar