4 táticas para influenciar o inconsciente do seu consumidor

“Como influenciar o inconsciente?” pode ser a pergunta de um milhão de dólares no meio do marketing. Cada vez mais, marcas buscam por estratégias para seduzir a mente humana. O motivo disso é simples: apesar de todos nós procurarmos verbalizar justificativas para nossas compras, já sabemos que nossos cérebros nem sempre fazem escolhas totalmente conscientes.

Com isso, entendemos que o comportamento do consumidor é impulsionado por influências muito sutis do subconsciente. Toda essa questão ajudou a alavancar áreas como neuromarketing e temas como mood marketing.

Com um mercado saturado de marcas, a tarefa de entrar na mente do consumidor e causar um impacto emocional é árdua. No entanto, não é impossível. Para ajudar você a influenciar o inconsciente dos seus consumidores, anote nossas quatro dicas:

1- Crie associações

Para o neuromarketing, toda marca é um conceito armazenado na memória dentro de uma rede de associações. Pense em uma rede na qual cada ramo interliga-se com outros ramos. Essa ligação de ramos forma a rede propriamente dita. No marketing, os ramos seriam as associações da marca.

Um bom exemplo disso é o Red Bull. Com o slogan “Red Bull te dá asas”, a marca construiu associações com esportes radicais. Inconscientemente, um consumidor pode assistir a um programa esportivo e fazer um vínculo com a bebida. O mesmo se aplica com calor e cerveja, por exemplo.

O caminhão da Coca-Cola pode trazer a lembrança do Natal. Mesmo sem saber, isso pode ser um gatilho para você ter comprado garrafas do refrigerante na sua ceia. Consegue entender o que queremos dizer com “criar associações”?

A questão de associação pode ir além. Uma comida pode ativar uma memória da infância, é possível associar um aroma com o “cheiro da casa da vó”, um perfume pode lembrá-lo de uma pessoa e assim por diante.

A associação é possível porque nossa mente está permanentemente alerta, percebendo estímulos e atribuindo significados a eles. Isso ocorre mesmo que não estejamos prestando atenção.

Como as informações são processadas pelo cérebro a uma velocidade muito maior que nossos pensamentos, o estímulo emocional ocorre a todo momento. Por isso, uma das maneiras de influenciar o inconsciente é associar sua marca com uma sensação. Pode ser de segurança, leveza, bem-estar, poder, elegância etc.

2 – Crie sentimentos de escassez e urgência

Não adianta: de modo geral, queremos o que não podemos ter. Um dos gatilhos mais utilizados pelo neuromarketing para influenciar o inconsciente é “oferecer uma oferta por tempo limitado”, ou dizer que “restam poucas unidades” de tal produto.

Quantos de nós já fizemos uma compra por impulso de um produto que estava no final de uma promoção ou que cujo estoque estava quase acabando?

Por instinto, o que o outro quer é também o que queremos (sim, o cérebro é invejoso). Então, nossa mente funciona mais ou menos assim: “se tem fila para entrar nessa loja, é porque ela deve ser boa. Quero entrar também antes que acabem os produtos”.

3 – Invista em elementos visuais

O cérebro é 70% visual. Um site repleto de anúncios ou uma vitrine empilhada de produtos pode até atrair nossos olhares, mas, certamente, o olhar não será retido e nossa atenção será desviada.

Uma das maneiras mais certeiras de influenciar o inconsciente é mostrando belas imagens, em um design ou ambiente bem organizado. Isso ocorre porque nosso cérebro gosta daquilo que é belo.

Nesse caso, a dica é apostar em imagens e vídeos 3D. Eles não apenas chamam a atenção por serem muito próximos à realidade, mas também possibilitam ao marketing mostrar o que seria muito difícil nos meios tradicionais de fotografia e filmagens.

Como o cérebro é também preguiçoso, um texto explicando o funcionamento de uma engrenagem, por exemplo, não será tão assertivo quanto um vídeo 3D mostrando a engrenagem funcionando. Uma imagem, como dizem, vale mais que mil palavras, certo?

Photorealistic 3D Rendering
Photorealistic 3D Rendering

4 – Proporcione experiências

Aqui na Signia Digital somos fãs do marketing de experiência porque sabemos que isso funciona e traz resultados para empresas. Já desenvolvemos diversas ações com Realidade Aumentada que servem como exemplos.

Essas ações funcionam porque colocam o participante (isto é, o consumidor) no centro  e ativam no cérebro um sentimento de prazer. E esse sentimento é revivido toda vez que o consumidor lembrar da marca.

Pronto para influenciar o inconsciente dos seus consumidores?

Nosso consciente é a ponta do iceberg, ou seja, é o que conseguimos ver. Mas para influenciar o inconsciente é preciso trabalhar com o que está submerso. Somos bombardeados por gatilhos que podem ativar sentimentos ou sensações em cada um de nós.

Como profissional de marketing, você pode pensar no seu público-alvo e analisar como conseguirá ativar algum gatilho que o atraia para sua marca. Em nosso site, temos exemplos de cases de projetos que mostram como empresas estão trabalhando com imagens e vídeos para influenciar o inconsciente. Caso queira saber mais, clique aqui.

Gostou deste artigo? Para mais posts como este, acesse o Insights, o blog da Signia Digital.