Realidade Aumentada ganha cada vez mais destaque no varejo

Gigantes como IKEA ditaram as regras para a utilização da Realidade Aumentada no varejo. Recentemente outra gigante anunciou o mesmo: a L’Oreal passou a inserir RA para testar produtos.

Mas se no primeiro parágrafo falamos apenas de grandes corporações, existe uma outra tendência: a de varejistas menores também usufruírem dos benefícios da Realidade Aumentada. Para entender o porquê da tecnologia estar recebendo cada vez mais destaque, confira a seguir.

Utilização da Realidade Aumentada no varejo (lojas virtuais)

As estatísticas mostram que o mercado eletrônico está crescendo. Com uma demanda maior de vendas online, é fundamental que e-commerces façam uso das ferramentas certas. Além de boas imagens e vídeos de produtos, uma maneira eficiente de impulsionar a loja online é por meio da Realidade Aumentada.

Melhorar a experiência do visitante virtual significa aumentar o engajamento bem como as taxas de conversão. Essa experiência pode acontecer quando, por exemplo, podemos experimentar uma roupa ou ver como um móvel ficaria em nossas casas antes mesmo de colocar os itens no carrinho de compras.

Imagine acessar um comércio eletrônico e verificar se a maquiagem combina com o tom de pele, se os óculos caem bem no formato do rosto e se um objeto de decoração fica bem na sala? É a utilização da Realidade Aumentada no varejo que permite que a experiência da loja virtual seja levada para a casa do consumidor.

Mas, se até aqui falamos de experiência em e-commerce, como fica o varejo de lojas físicas?

Utilização da Realidade Aumentada no varejo (lojas físicas)

A Realidade Aumentada funciona por meio de um aplicativo que o usuário instala em seu dispositivo móvel. No varejo, temos alguns exemplos conhecidos.

A Lacoste, por exemplo, criou o aplicativo móvel LCST Lacoste AR. Por meio do app os clientes podem experimentar virtualmente os sapatos. O aplicativo também criou experiências de AR com vitrines, sinalização na loja e cartões postais promocionais.

De acordo com a Lacoste, foram mais de 30 mil usuários envolvidos com produtos 3D. Literalmente, a empresa colocou a experiência de compra nas mãos dos clientes. Para entender melhor, confira o vídeo abaixo:

Um exemplo parecido com o da Lacoste vem da marca de roupas American Apparel. Através de um aplicativo, os clientes que visitam a loja podem digitalizar uma imagem de sinalização. O app, então, acessa os detalhes do produto, incluindo comentários de clientes, preços e opções de cores.

Para mais perto de nós temos o exemplo das marcas infantil Lilica Ripilica e Tigor T Tigre. A Signia Digital foi responsável por criar um aplicativo de Realidade Aumentada visando melhorar a experiência dos clientes na lojas físicas. Através do app os consumidores podiam visualizar as cores e opções dos produtos:

Concluindo

O varejo é um campo atraente para explorar a Realidade Aumentada porque os resultados podem ser vistos em números reais, o feedback dos clientes é praticamente na hora e há uma grande exposição viral.

Por isso, acreditamos que a utilização da Realidade Aumentada no varejo seja um caminho sem volta para quem se preocupa com a experiência do seu consumidor.

Caso queira entender melhor sobre RA, sugerimos a leitura do artigo O que é Realidade Aumentada e como ela funciona.

Quer saber mais sobre RA no varejo? Entre em contato conosco! E se este artigo foi útil a você, compartilhe-o com seus colegas. 

Voltar