Marketing Sensorial: entenda o que é essa tendência

Marketing Sensorial

Marketing sensorial: conheça a tendência que veio para ficar

Você sabe muito bem que uma estratégia bem-sucedida de marketing estabelece uma conexão entre uma marca, um produto ou um serviço e o consumidor e suas necessidades, desejos e percepção sensorial. Por isso, nos dias de hoje as marcas consideradas de sucesso entenderam que devem transmitir sentimentos e emoções.

Sempre que um dos nossos sentidos é estimulado, automaticamente a parte do nosso cérebro responsável pelas memórias, emoções, prazeres e sentimentos é acionada. Com isso, a interação entre marca e consumidor é intensificada. Quem explica melhor o que falamos até aqui é o Marketing Sensorial.

O que é Marketing Sensorial?

O Marketing Sensorial refere-se às técnicas utilizadas para atingir os sentidos dos clientes com o objetivo de influenciar seu comportamento baseado em como sua marca/produto/serviço os fazem sentir. Como sabemos, são cinco os cinco sentidos: visão, audição, olfato, paladar e tato. Portanto, o marketing sensorial busca conquistar confiança e atenção de um cliente apelando para cada um desses cinco sentidos.

A beleza do Marketing Sensorial é que ele visa ao engajamento do cliente focando na experiência. Quando uma marca aciona múltiplos sentidos, passamos a experimentá-la mais profundamente e a nos conectar com ela em um alto nível emocional. Praticamente todas as marcas que hoje são consideradas icônicas conseguiram atingir tal status porque perceberam as oportunidades por trás do marketing sensorial.

E engana-se quem pensa que o Marketing Sensorial não é possível no mundo online. Se antigamente os sentidos percebidos pelo cliente enquanto navegavam em sites eram apenas visão e audição, o desenvolvimento das tecnologias de Realidade Virtual e Realidade Aumentada faz com que marcas consigam evocar também os sentidos de olfato, paladar e tato.

Marketing Sensorial como criador de expectativas

Ao visualizar um produto em uma prateleira, por exemplo, existe uma ordem temporal, isto é, primeiro o consumir olha o produto e em seguida interage com ele pelo toque. Essas percepções podem muitas vezes entrar em conflito. Para entender melhor, imagine uma garrafa que você imagina ser de vidro, mas ao tocá-la percebe ser de plástico.

A expectativa é justamente o condutor do sucesso do Marketing Sensorial. Sabe aquela história de “a primeira impressão é a que fica”? Pois bem, é o primeiro vislumbre de um produto que definirá as expectativas da forma, do material, do cheiro etc. Nesse caso, existem dois caminhos:

  • A experiência será positiva caso a interação com o produto exceda as expectativas;
  • A experiência terá um impacto negativo nos consumidores caso a interação fique aquém das expectativas.

Para atender às expectativas dos consumidores quanto às experiências, algumas táticas são aplicáveis, como:

  • Use e abuse do apelo emocional;
  • Faça com que o consumidor sinta o cheiro (e isso pode vir da imaginação do próprio consumidor, acessando uma lembrança em sua mente);
  • Associe o produto a um fundo musical;
  • Aposte na embalagem, nos materiais impressos (você pode utilizar Realidade Virtual, como explicamos aqui) e no design do produto (para ativar o toque);
  • Crie uma campanha ou um anúncio bonito e atraente, afinal, a visão é o sentido mais poderoso que temos.

Quer saber mais?

Para conhecer um pouco mais sobre o universo do Marketing Sensorial, convidamos a entender também sobre o Mood Marketing, o Marketing das emoções. Caso te interesse, recomendamos o artigo Mood marketing: deixe as emoções falarem mais alto.

Gostou deste post? Fique à vontade para compartilhá-lo com seus colegas. Aproveite que está aqui e conheça nossos outros artigos no blog da Signia Digital.